Menu principal
 

Atualização: Dezembro/2016

 Objetivo Estratégico 2013-2017Progresso Envolvidos
01Implantar sistema de gestãoResponsável: TI – Envolvidos: PROEX, PROAD, DGP, CECOM, PROEN e Representantes dos CAMPI
02Criar mecanismos que evitem a evasão e retenção escolarResponsável: PROEN – Envolvidos: CECOM, TI e Representantes do Ensino dos CAMPI
03Criar mecanismos de incentivo ao ensino, pesquisa e extensãoResponsável: PROPI – Envolvidos: PROEX, PROEN, PROPI, CECOM
04Desenvolver projetos para captação de recursos extraordinários; visando a melhoria do ensino, da pesquisa, da extensão e da gestãoResponsável: PROEX – Envolvidos: PROEX, Engenharia, PROEN
05Implementar Programas de Melhoria da Qualidade da Educação BásicaResponsável: PROEN
06Criar politicas e programas de formação e aperfeiçoamento contínuo de servidores docentes e técnico-administrativos em todos os níveisResponsável: DGP – Envolvidos: PROEX, PROAD, PROEN, TI
07Definir a Estrutura Organizacional da instituição com padronização mínimaFoi instituído Grupo de Trabalho constituído pela Portaria nº 2.089/2015 de 01 de setembro de 2015 e retificado pela Portaria nº 746/2016 de 01 de março de 2016 que fez estudo sobre o dimensionamento da força de trabalho dos servidores Técnicos Administrativos da Educação (TAEs) no âmbito do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense, seu trabalho foi concluído em maio/2016.
08Criar uma política de identidade institucionalA Cecom tem consolidado a identidade institucional do IFC por meio de diversas ações que se materializam em: Manual de Identidade Visual do IFC, Manual de Padronização da Comunicação do IFC, Manual de Identidade Visual dos Cursos do IFC, Manual para Uso de Mídias Sociais pelas Cecoms do IFC e Instrução Normativa 003/2014, que dispõe sobre a normatização da sigla do Instituto Federal Catarinense e incentiva o uso do nome e da logomarca simplificada em todas as atividades institucionais. Além disso, as campanhas de ingresso e suas respectivas ações de divulgação representam os esforços do setor, para tornar conhecidos os serviços ofertados à comunidade e, por conseguinte, o processo de consolidação da identidade institucional. As iniciativas e diretrizes citadas, em conjunto, constituem ações significativas para o posicionamento social da marca da instituição.

Todos os documentos mencionados foram publicizados e estão disponíveis em: http://cecom.ifc.edu.br/manuais-e-guias/, http://cecom.ifc.edu.br/documentos-cecom/ e http://cecom.ifc.edu.br/logotipos-do-ifc/.
09Criar um programa para melhorar a eficiência da Gestão de ComprasResponsável: PROAD – Envolvidos: Engenharia e PROAD
10Criar manuais e fluxos de trabalho no IFCResponsável: PROAD- Envolvidos: PROEX, PROAD, DGP, CECOM, TI, PROPI, PRODIN, Engenharia, PROEN
11Criar uma politica para a implantação gradativa de novos cursosResponsável: PROEN – Envolvidos: PRODIN e PROEN
12Fazer o mapeamento de competências de cargos e funçõesResponsável: DGP – Envolvidos: PROAD, DGP
13Estabelecer plano de reposição docente com critérios claros, visando agilizar as contrataçõesFoi criada Comissão para alteração da Resolução CONSUPER n° 048/2014 – Professor Substituto (Portaria nº 3.015 de 23/08/2016), a fim de melhorar a forma de contratação de Professor Substituto no âmbito do IFC, bem como, propor critérios de contratação de Professor Visitante (Nacional e Estrangeiro). Busca-se melhorar os procedimentos de contratação docente para rápida reposição, a fim de que as atividades didático-pedagógicas não sejam prejudicadas. As regras para contratação de professores substitutos já estão definidas pelo Grupo de Trabalho. Atualmente os esforços do GT estão direcionados às contratações de professores visitantes (nacional/estrangeiro), considerando a existência de uma série de peculiaridades envolvidas neste tipo de contratação. Está pré agendada visita à UFSC (Florianópolis), dia 25/10/2016, para tratar de situações específicas envolvendo essa contratação e subsidiar os trabalhos do GT/IFC
14Criar uma politica de incentivo a inovação tecnológicaResponsável: PROPI – Envolvidos: PROPI e NIT
15Criar comissão para avaliação constante da infraestrutura mínima necessária ao bom funcionamento dos campiResponsável: Engenharia – Envolvidos: engenharia, TI
16Padronizar no mínimo 75% das matrizes curriculares dos cursos do IFCResponsável: PROEN
17Criar critérios de gestão a fim de agilizar a execução orçamentária e financeiraResponsável: PROAD
18Desenvolver mecanismos para melhorar a distribuição da carga horária de professores entre ensino, pesquisa e extensãoResponsável: PROEN – Envolvidos: PROEN, PROPI, PROEX
19Criar um programa de incentivo e fortalecimento de grupos de pesquisa de acordo com as áreas de atuação do campusDesenvolveu-se um programa de apoio à produção e publicação científica e tecnológica, que condiciona os pesquisadores interessados a integrar grupos de pesquisa para pleitear apoio do programa. Foi criado também regulamento específico para avaliação dos grupos de pesquisa, de acordo com sua produção.
20Criar um programa de ações de extensão e pesquisa dos APLS nos campusResponsável: PROEX – Envolvidos: PROEX, PROPI
21Promover educação à distância para a qualificação interna dos servidores técnico-administrativos, servidores docentes e gestoresResponsável: DGP- Envolvidos: DGP e PROEN
22Criar programas de Assistência EstudantilDesde 2011 o IFC tem investido em um conjunto de ações implementadas pela Coordenação-Geral de Políticas e Programas Estudantis, a atuação desta coordenação está em consonância com a Política Nacional de Assistência Estudantil – PNAES. As políticas e projetos desenvolvidos têm como principal finalidade garantir a permanência de todos os estudantes, com atenção especial àqueles provenientes de famílias em situação de vulnerabilidade socioeconômica, por meio da redução das taxas de evasão e reprovação. A Coordenação possui equipes multiprofissionais nos campi e Reitoria preparadas para atendimento dos estudantes, sendo: assistentes sociais, psicólogos, nutricionistas, pedagogos, técnico em assuntos educacionais, assistentes de alunos, entre outros.
23Criar uma política de Gestão AmbientalResponsável: PROAD
24Fomentar a pesquisa aplicada e a participação em eventosAprovação da Resolução n°20/2015 (Programa de Apoio à Produção e Publicação Científica e Tecnológica – PAPCT do IFC) e publicação, com periodicidade anual de editais de apoio à projetos de pesquisa (bolsas e custeio), publicação e apresentação de trabalhos.
25Criar comissão de estudo para analisar a viabilidade de Fundação de Apoio para o IFC.O estudo sobre convênios com fundações de apoio foi finalizado e a comissão entendeu que não seria viável criar uma Fundação própria. Propôs a adesão a uma Fundação existente. Assim, buscou-se o credenciamento à FAPEU - Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária, sendo aprovado pelo CONSUPER/IFC e Conselho Universitário/UFSC. A partir dessa aprovação, iniciaram as tratativas para a autorização da FAPEU como Fundação de Apoio do IFC junto ao GAT - Grupo de Apoio Técnico, composto por membros do MEC e MCTI, processo em andamento.
26Criar programa de formação continuada para gestores na modalidade presencial e/ou a distânciaResponsável: DGP
27Criar programa para diagnosticar, avaliar e otimizar a distribuição de aulas, disciplinas e atividades por área de conhecimentoResponsável: PROEN
28Instituir políticas de comunicaçãoResponsável: CECOM
29Criar programa para definir Eixo Tecnológico por campusResponsável: PROEN – Envolvidos: PROEN e PRODIN
30Criar a política de acompanhamento dos egressosResponsável: PROEX
31Promover a publicação dos trabalhos em periódicos indexadosAprovação da Resolução n°20/2015 (Programa de Apoio à Produção e Publicação Científica e Tecnológica – PAPCT do IFC) e publicação anual de edital de apoio à publicação de artigos em periódicos indexados.
32Criar política de apoio à produção culturalResponsável: PROEN
33Criar um programa para estudar a viabilidade de implantação de incubadoras nos campiConsiderando a existência de Incubadoras nas regiões em que os Campi do IFC se encontram, neste momento, busca-se a consolidação de parcerias com essas incubadoras, através de Termos de Cooperação.
34Estabelecer programa de parcerias nacionais e internacionaisResponsável: PROEX – Envolvidos: PROEX, PROPI, PROEN e Assuntos Internacionais
35Implantar e consolidar as coordenações de comunicação, normatizando e formando equipes com profissionais da área.Responsável: CECOM
36Implantar projetos de ação socialResponsável: PROEX
37Desenvolver um programa de execução da política de acessibilidadeResponsável: PROEN – Envolvidos: CECOM, PROEN e Engenharia
38Implantar programa de apoio a estudantes com elevado desempenhoResponsável: PROEN