Atualização: Dezembro/2017

 Objetivo Estratégico 2013-2017Progresso Esclarecimentos
01Implantar sistema de gestãoUm módulo é considerado 100% implantado quando ele passou pelos três macroprocessos do fluxo de implantação, quais sejam: Preparação, Visão Geral e Treinamento. Em suma, um módulo está implantado quando ele está apto a ser utilizado pela área de negócio. Os responsáveis da área de negócio têm a liberdade de definir o melhor momento para começar a utilização de um módulo implantado. Diante disso, pode-se afirmar que o status de implantação global do SIG é de 99%, tendo em vista que o módulo Avaliação Funcional teve sua implantação iniciada em 2017; porém, a UFRN reformulou o módulo por completo, o que implicou a interrupção da implantação. Para melhor aproveitamento do módulo, a Coordenação de Sistemas de Informação pretende, em 2018, reiniciar a implantação e concluí-la até 31/12/2018. Em reunião do CGTI, em 25/09/2017, foi decidido que o módulo de biblioteca do SIGAA não será utilizado no momento, permanecendo o sistema Pergamum como gestor para as bibliotecas.
02Criar mecanismos que evitem a evasão e retenção escolarTrabalhos conduzidos pela CGPPE, com duas comissões: Portaria n° 3789/2016, com a participação de 08 campi, e Portaria n° 38787/2016, com a participação de membros de todos campi. Foram realizadas diversas ações ao longo do período compreendido entre 2016 e 2017: III Workshop Nacional sobre Educação Profissional e Evasão Escolar; organização e participação dos alunos nos Jogos (em todas as etapas – interna, regional e nacional); consultas e orientações sobre o fornecimento de alimentação escolar gratuita, conforme Lei nº 11.947/09, e quanto à adequação gradual das cantinas da instituição à Lei Estadual nº 12.061/01; estudo, junto à PROAD, para o melhor custo-benefício dentre as modalidades de oferta de alimentação escolar. A continuidade e a manutenção das atividades são constantes, focadas em desenvolver e implementar a política de atendimento ao estudante.
03Criar mecanismos de incentivo ao ensino, pesquisa e extensãoForam implantados mecanismos de incentivo ao ensino, à pesquisa e à extensão, dentre os quais se destacam: atualização da regulamentação do Programa de Apoio à Produção e Publicação Científica e Tecnológica – PAPCT (Resolução nº 020-Consuper/2015); estabelecimento das normas de criação e funcionamento de Empresas Juniores no âmbito do Instituto Federal Catarinense (Resolução nº 008-Consuper/2015); estabelecimento da Regulamentação de prestação de serviços tecnológicos solicitados pela sociedade, órgãos públicos, entidades privadas ou pessoa física (Resolução nº 064-Consuper/2014); estabelecimento do Regulamento de Cursos Livres de Extensão (Resolução nº 023-Consuper/2017); estabelecimento do regulamento de Visita Técnica (Resolução nº 21-Consuper/2017); atualização da Regulamentação do Programa de Monitoria (Resolução nº 006-Consuper/2017); estabelecimento do Regulamento do Comitê de Ensino (Resolução nº 065-Consuper/2016). Além disso, foram publicados editais que fomentaram a realização de atividades de ensino, pesquisa e extensão. Este objetivo terá a continuidade de suas atividades para o próximo Planejamento Estratégico.
04Desenvolver projetos para captação de recursos extraordinários; visando a melhoria do ensino, da pesquisa, da extensão e da gestãoO IFC, por meio das pró-reitorias de ensino, pesquisa e extensão, participou de editais externos, com o intuito de captar recursos extraorçamentários. Obteve-se a aprovação de projetos através da Fapesc, do Ministério do Esporte, da Capes, do Ministério da Educação, do CNPq e da Finep. Este objetivo permanece para o Planejamento Estratégico 2018-2021.
05Implementar Programas de Melhoria da Qualidade da Educação BásicaSão desenvolvidos, de forma permanente, o PIBID, os cursos de Qualificação Profissional e os projetos de extensão, nos diversos campi, que colaboram para este objetivo. Foi institucionalizado e aprovado o Programa de Monitoria, resolução extensiva aos cursos superiores e ao ensino médio – integrado, subsequente e concomitante. A sistematização e institucionalização de um programa específico é demanda em andamento.
06Criar politicas e programas de formação e aperfeiçoamento contínuo de servidores docentes e técnico-administrativos em todos os níveisAo longo dos anos, foram desenvolvidas atividades que contemplaram o alcance desse objetivo estratégico. Em 2016, foi publicada a Resolução 015/2016-Consuper, que dispõe sobre a política de capacitação dos servidores do IFC. Tal Resolução propõe a elaboração de Planos Anuais de Capacitação, que vêm sendo formulados e acompanhados desde 2016. As capacitações previstas nos Planos Anuais de Capacitação têm sido desenvolvidas em parceria com escolas de governo, como ENAP, ESAF e ESR, e, quando possível, utilizando-se da própria força de trabalho do IFC e de outras instituições públicas, como é o caso do Programa de Recepção dos Servidores, elaborado e aplicado por servidores do próprio IFC.
07Definir a Estrutura Organizacional da instituição com padronização mínimaFoi instituído Grupo de Trabalho constituído pela Portaria nº 2.089/2015 de 01 de setembro de 2015 e retificado pela Portaria nº 746/2016 de 01 de março de 2016 que fez estudo sobre o dimensionamento da força de trabalho dos servidores Técnicos Administrativos da Educação (TAEs) no âmbito do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense, seu trabalho foi concluído em maio/2016.
08Criar uma política de identidade institucionalA Cecom tem consolidado a identidade institucional do IFC por meio de diversas ações que se materializam em: Manual de Identidade Visual do IFC, Manual de Padronização da Comunicação do IFC, Manual de Identidade Visual dos Cursos do IFC, Manual para Uso de Mídias Sociais pelas Cecoms do IFC e Instrução Normativa 003/2014, que dispõe sobre a normatização da sigla do Instituto Federal Catarinense e incentiva o uso do nome e da logomarca simplificada em todas as atividades institucionais. Além disso, as campanhas de ingresso e suas respectivas ações de divulgação representam os esforços do setor, para tornar conhecidos os serviços ofertados à comunidade e, por conseguinte, o processo de consolidação da identidade institucional. As iniciativas e diretrizes citadas, em conjunto, constituem ações significativas para o posicionamento social da marca da instituição.

Todos os documentos mencionados foram publicizados e estão disponíveis em: http://cecom.ifc.edu.br/manuais-e-guias/, http://cecom.ifc.edu.br/documentos-cecom/ e http://cecom.ifc.edu.br/logotipos-do-ifc/.
09Criar um programa para melhorar a eficiência da Gestão de ComprasFoi instituída a Comissão Institucional de Estudos sobre Compras Conjuntas do IFC, por meio da Portaria nº 3.299/2017, que tem como objetivo implantar uma agenda de compras conjuntas. Desta forma, visa-se à diminuição do retrabalho, à otimização processual, à economia em escala, à padronização dos materiais/equipamentos/serviços, ao fortalecimento institucional e à sustentabilidade.
10Criar manuais e fluxos de trabalho no IFCBuscando atender este objetivo, o IFC vem elaborando e publicizando seus manuais e fluxos. Este objetivo permanece em desenvolvimento para o Planejamento Estratégico 2018-2021.
11Criar uma politica para a implantação gradativa de novos cursosFoi aprovado o Regimento Interno do Consepe (Resolução Consuper nº 63/2016), que passa a normatizar critérios, respeitando a missão do IFC e o Termo de Acordo e Metas, para a verticalização dos cursos e estabelecimento de prioridades institucionais. Em andamento está a criação de políticas, implementação, aperfeiçoamento e ampliação de diretrizes educacionais do IFC, em atendimento à legislação e às demais normas.
12Fazer o mapeamento de competências de cargos e funçõesEste objetivo foi parcialmente atingido com a execução de algumas estratégias, como a capacitação de três servidores, da Diretoria de Gestão de Pessoas, no curso da ENAP de Gestão por Competências (que abrange o mapeamento de competências), e a criação de um Grupo de Trabalho que elaborou a metodologia para aplicação da gestão por competências no IFC. Porém, a estratégia de implementação do projeto piloto não foi exitosa por falta de disponibilidade de um servidor com dedicação exclusiva para tal atividade.
13Estabelecer plano de reposição docente com critérios claros, visando agilizar as contrataçõesFoi criada Comissão para alteração da Resolução Consuper n° 048/2014 - Professor Substituto (Portaria nº 3.015, de 23/08/2016), a fim de melhorar a forma de contratação de professores substitutos no âmbito do IFC, bem como propor critérios de contratação de professor visitante (nacional e estrangeiro). Busca-se melhorar os procedimentos de contratação docente para rápida reposição, a fim de que as atividades didático-pedagógicas não sejam prejudicadas. As regras para contratação de professores substitutos já estão definidas pelo Grupo de Trabalho. Os esforços do GT estão direcionados às contratações de professores visitantes (nacional e estrangeiro), considerando a existência de uma série de peculiaridades envolvidas neste tipo de contratação.
14Criar uma politica de incentivo a inovação tecnológicaA política de incentivo à inovação tecnológica no IFC está em fase de elaboração. Em razão da atualização da legislação nacional que trata do tema, por meio da Lei nº 13.243, de 11/01/2016, os trabalhos relativos à construção da política institucional de inovação tecnológica foram suspensos, aguardando-se a regulamentação da referida Lei. Entretanto, foi publicado, em 2017, um edital de apoio a projetos de inovação (Edital nº 079/2016), que se encontra em fase de execução.
15Criar comissão para avaliação constante da infraestrutura mínima necessária ao bom funcionamento dos campiFoi criada a comissão responsável pela avaliação constante da infraestrutura mínima necessária ao bom funcionamento dos campi do IFC por meio da Portaria nº 2.978/2013, de 19 de setembro de 2013.
16Padronizar no mínimo 75% das matrizes curriculares dos cursos do IFCFoi criado o GT das Licenciaturas e foram aprovadas as diretrizes institucionais para as Licenciaturas (Portaria Normativa nº 009/2016) e a decorrente atualização dos projetos pedagógicos destas. Ademais, foram iniciados os trabalhos e promovidos encontros com os coordenadores dos cursos de Medicina Veterinária, Agronomia, Redes de Computadores, Bacharelado em Sistemas de Informação e Ciências da Computação, com o intuito de assegurar 75% de unificação institucional das matrizes, ação que está em andamento. Em processo está, igualmente, a elaboração de diretrizes para a Educação Profissional Integrada ao Ensino Médio. Este objetivo permanecerá para continuidade no Planejamento Estratégico 2018-2021.
17Criar critérios de gestão a fim de agilizar a execução orçamentária e financeiraA Pró-Reitoria de Administração desenvolveu diversas ações, tais como: proposta de adequações orçamentárias e financeiras, diagnóstico da disponibilidade de recursos para a execução orçamentária e financeira, apresentação da relação de prioridade de investimentos, entre outras, atendendo, assim, a esse objetivo estratégico.
18Desenvolver mecanismos para melhorar a distribuição da carga horária de professores entre ensino, pesquisa e extensãoAções integradas entre as Pró-Reitorias (Proen/Propi/Proex) foram executadas, como a revisão da Resolução nº 11/2015/Consuper/IFC e a elaboração das Notas Técnicas Conjuntas n° 01/2015 e 02/2016. Em andamento estão os trabalhos do GT da Progressão, assim como, continuamente, a análise dos PTDs, de forma a garantir o caráter de atividade docente.
19Criar um programa de incentivo e fortalecimento de grupos de pesquisa de acordo com as áreas de atuação do campusDesenvolveu-se um programa de apoio à produção e publicação científica e tecnológica, que condiciona os pesquisadores interessados a integrar grupos de pesquisa para pleitear apoio do programa. Foi criado também regulamento específico para avaliação dos grupos de pesquisa, de acordo com sua produção.
20Criar um programa de ações de extensão e pesquisa dos APLS nos campusPor meio da Proex e da Propi, lançou-se o Edital nº 267/2017, para apoio a projetos de Pesquisa e Extensão aplicados aos Arranjos Produtivos Locais – APLs – nos campi do IFC. Em 2016, o Edital nº 162/2016 contemplou 31 projetos. Já o Edital nº 444/2014 teve 16 projetos aprovados. Não houve a criação do programa, em virtude de os projetos aprovados não serem articulados e não estarem vinculados a outras ações de extensão ou pesquisa.
21Promover educação à distância para a qualificação interna dos servidores técnico-administrativos, servidores docentes e gestoresEste objetivo foi contemplado com o uso da plataforma Moodle, que possibilitou a execução dos cursos de Recepção Docente e TAE a distância. Além disso, foram executadas estratégias de capacitação para os gestores, por meio da exibição de vídeos, com as temáticas feedback, liderança e motivação, com palestrantes especialistas nessas áreas. A Proen articula o credenciamento e a implantação de diretrizes EAD para oferta de cursos na modalidade.
22Criar programas de Assistência EstudantilDesde 2011, o IFC tem investido em um conjunto de ações implementadas pela Coordenação-Geral de Políticas e Programas Estudantis, cuja atuação está em consonância com a Política Nacional de Assistência Estudantil – PNAES. As políticas e os projetos desenvolvidos têm como principal finalidade garantir a permanência de todos os estudantes, com atenção especial àqueles provenientes de famílias em situação de vulnerabilidade socioeconômica, por meio da redução das taxas de evasão e reprovação. A Coordenação possui equipes multiprofissionais, nos campi e na Reitoria, preparadas para o atendimento dos estudantes, formadas por assistentes sociais, psicólogos, nutricionistas, pedagogos, técnicos em assuntos educacionais, assistentes de alunos, entre outros.
23Criar uma política de Gestão AmbientalTendo por base o estudo realizado pelo Comitê de Implantação do Núcleo de Gestão Ambiental, constituído pela Portaria nº 1.343/2012, o Consuper aprovou o Regulamento de Atividades do Núcleo de Gestão Ambiental (NGA) do IFC por meio da Resolução nº 006-Consuper/2014. Diversas ações foram desenvolvidas pelo NGA Institucional e pelos NGA de cada campi, dentre as quais se destacam: I. Manual de Orientações para Ações Sustentáveis; II. Regulamento das Atividades do Núcleo de Gestão Ambiental do IFC (em processo de revisão); III. Publicação constante no Informativo IFC sobre ações sustentáveis e meio ambiente, entre outras. Este objetivo será readequado e permanecerá como demanda para o Planejamento Estratégico 2018-2021.
24Fomentar a pesquisa aplicada e a participação em eventosAprovação da Resolução n° 20/2015 (Programa de Apoio à Produção e Publicação Científica e Tecnológica – PAPCT – do IFC); publicação, com periodicidade anual, de editais de apoio a projetos de pesquisa (bolsas e custeio); apresentação e publicação de trabalhos.
25Criar comissão de estudo para analisar a viabilidade de Fundação de Apoio para o IFC.O estudo sobre convênios com fundações de apoio foi finalizado. A comissão entendeu que não seria viável criar uma fundação própria e propôs a adesão a uma fundação existente. Assim, buscou-se o credenciamento junto à FAPEU – Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária –, sendo aprovado pelo Consuper/IFC e Conselho Universitário/UFSC. A partir dessa aprovação, iniciaram-se as tratativas para o credenciamento da FAPEU como Fundação de Apoio do IFC junto ao GAT – Grupo de Apoio Técnico –, composto por membros do MEC e do MCTIC, cujo processo foi concluído em 2017.
26Criar programa de formação continuada para gestores na modalidade presencial e/ou a distânciaEste objetivo foi contemplado, ao longo dos anos de 2016 e 2017, com a oferta de dois cursos presenciais de Elaboração de Indicadores de Desempenho Institucional, em parceria com instrutor qualificado pela ENAP, e a partir da exibição de vídeos, sobre motivação, liderança e feedback, com palestrantes especialistas na área.
27Criar programa para diagnosticar, avaliar e otimizar a distribuição de aulas, disciplinas e atividades por área de conhecimentoA revisão da Resolução nº 11/2015, a elaboração das Notas Técnicas Conjuntas Proen/Propi/Proex n° 01/2015 e 02/2016, e a análise dos PTDs são conduzidas de forma a garantir o caráter integrador da atividade docente. Em andamento está a atualização do SIGAA, para que, a partir de um sistema integrado, seja possível o levantamento das informações por meio de módulos customizados para registro e acompanhamento de todas as atividades.
28Instituir políticas de comunicaçãoFoi instituído Grupo de Trabalho pela Portaria nº 2.045/2017, de 25 de julho de 2017, que propõe o estudo das diretrizes para a construção da política de Comunicação do Instituto Federal Catarinense. Este objetivo permanecerá como demanda para o Planejamento Estratégico 2018-2021.
29Criar programa para definir Eixo Tecnológico por campusFoi aprovado o Regimento Interno do Consepe (Resolução Consuper nº 63/2016), que passa a normatizar diretrizes, respeitando-se a missão do IFC e o Termo de Acordo e Metas, para a verticalização dos cursos, o estabelecimento de prioridades institucionais e a definição de critérios para abertura de novos eixos tecnológicos, a serem formalizados e publicizados em documento próprio.
30Criar a política de acompanhamento dos egressosAprovação da Resolução nº 059/2016 (Política de Acompanhamento de Egressos – PAEG).
31Promover a publicação dos trabalhos em periódicos indexadosAprovação da Resolução n°20/2015 (Programa de Apoio à Produção e Publicação Científica e Tecnológica – PAPCT do IFC) e publicação anual de edital de apoio à publicação de artigos em periódicos indexados.
32Criar política de apoio à produção culturalEnquanto ações efetivas, foi organizado o IFCultura, evento de periodicidade anual. Em andamento está a elaboração de minuta do Regulamento da Política de Apoio à Cultura do IFC.
33Criar um programa para estudar a viabilidade de implantação de incubadoras nos campiConsiderando a existência de Incubadoras nas regiões em que os Campi do IFC se encontram, neste momento, busca-se a consolidação de parcerias com essas incubadoras, através de Termos de Cooperação.
34Estabelecer programa de parcerias nacionais e internacionaisPor meio da Resolução nº 045-Consuper/2015, foram definidas as normas para o estabelecimento de Acordos/Convênios de Cooperação Internacional. Com as novas diretrizes da política de internacionalização, adotadas pelas agências de fomento e pelo governo brasileiro, há a necessidade de, em breve, proceder-se à revisão e à adequação dos mecanismos internos que regulamentam, especialmente, as relações internacionais.
35Implantar e consolidar as coordenações de comunicação, normatizando e formando equipes com profissionais da área.Considerando a rotatividade de servidores que respondem pela comunicação nos campi, será elaborado um material que versará sobre as principais atribuições da Cecom. Esse objetivo será readequado e permanecerá como demanda para o Planejamento Estratégico 2018-2021.
36Implantar projetos de ação socialO IFC, por meio da Proex, lançou o Edital nº 142/2017, com o intuito de apoiar a realização de Projetos de Ação Social. O resultado do edital foi o desenvolvimento de 15 projetos nos campi do IFC.
37Desenvolver um programa de execução da política de acessibilidadeA PROEN/CGPPE elaborou pesquisa com os NAPNEs dos campi sobre o trabalho desenvolvido pelos núcleos e a realidade das pessoas com deficiência e/ou necessidades específicas; organizou duas palestras aos servidores (presenciais e EAD), sobre deficiência e/ou necessidades específicas; organizou a publicação de 40 textos, com temas relacionados a deficiências e necessidades específicas, dentre os quais destacam-se deficiência auditiva/surdez, deficiência visual/cegueira, Síndrome de Down, TDAH, acessibilidade, surdocegueira, paraolimpíadas, inclusão, direitos das pessoas com deficiência, tecnologias assistivas, microcefalia, além dos temas gerais; e publicizou as atividades do NAPNE (pesquisas, eventos, etc.). Em andamento permanece a elaboração de minuta do Regulamento da Política de Atendimento Educacional Especializado. Em relação às adequações de acessibilidade do site institucional, a Cecom auxiliou na fase de testes, disponibilizando o template para avaliação de grupo de usuários.
38Implantar programa de apoio a estudantes com elevado desempenhoFoi realizada pesquisa com os NAPNEs dos campi, para levantamento de número de estudantes com elevado desempenho, e estimulada/viabilizada a participação de 4 estudantes no Parlamento Juvenil do Mercosul, sendo eleita 1 aluna do IFC - Campus Ibirama. Ações de estímulo às atividades de esporte, cultura e lazer foram ofertadas (com a participação nos Jogos e no IFCultura).